Ninjutsu, Ninjitsu, Curso de Defesa Pessoal, Armas Japonesas, Hosho Ryu NinpoA origem do Ninjutsu remonta a antiga china, durante o ano 500 a.C. Sun Tzu, filósofo e general estrategista militar escreveu escrito um livro que englobava estratégias de guerra. A obra intitulada de A arte da Guerra descrevia as táticas que um general deveria adotar para vencer qualquer batalha, e a mesma dava ênfase à utilização de espiões em todos os seus setores de combate. Baseados nas estratégias deste livro, os Ninja teriam desenvolvido suas técnicas e características de luta, levando uma vida mística afastados da nascente feudal japonesa.

A primeira aparição Ninja vem do final do século VI, quando a imperatriz Suiko e o príncipe Shotoku Taishi (Período de 604 a 1.192), utilizaram espiões, denominados "Shinobi" (Perito em obter informação) contra um usurpador do trono chamado Moriya. Nomes como Mijinki no Mikooto, Otomo no Saijin e Enzo Ozano foram os primeiros que puderam ser chamados de Ninja. Shotoku Taishi também utilizava o termo chinês Kanja (Kan: intervalo ou espaço – JA: Pessoa) ou Kancho (Olhar no espaço para obter informação) quando se referia aos grupos espiões que lhe serviam.

Ninjutsu é uma arte marcial japonesa e possui mais de 2500 mil anos de história e não foi criada por uma pessoa especificamente, seu surgimento ocorreu devido a uma consequência de fatores. O Japão viveu durante 2000 mil anos em guerra civil, cercado por inúmeros conflitos entre Shogun (Líderes militares), Daimyo (Senhores feudais), invasores e rebeldes. Nesse período existiam muitas escolas e famílias de ninjutsu, onde eram requisitadas sempre que necessário. No inicio a arte dos ninja só poderia ser ensinada somente de pai para filho, portanto para se praticar a modalidade era necessário estar ligado a uma linhagem familiar, caso contrário não se teria acesso a tais conhecimentos. Primeiramente, havia somente duas províncias ninja “IGA e Kohga“ e elas abrigavam diferentes clãs, cada qual com seu método de ensino.

Dentre as técnicas que mais se destacam temos camuflagem, ilusionismo, táticas de guerrilha, ocultação, meditação, canalização de energia e os mais diversos métodos de combate e estratégias militares. A palavra ninja ou ninjutsu podem ser traduzidas de diversas formas, mas o Kanji “NIN” é o que dá o maior significado para arte, como perseverança, paciência, persistência e principalmente tolerância. O Jutsu pode ser traduzido como arte ou técnica, formando diversas junções, contudo a mais utilizada é “arte da paciência ou arte da persistência” e a palavra ninja significa “aquele que resiste ou pessoa paciente”.

 

Desenvolvimento:

Ninjutsu, Ninjitsu, Curso de Defesa Pessoal, Armas Japonesas, Hosho Ryu NinpoDurante a longa guerra civil que durou até o fim do século XVI, algumas famílias ninja que habitavam as regiões montanhosas na região de Honshu no Japão foramimpedidas de portar espadas e armas, dessa forma, desenvolveram técnicas marciais para se proteger e foram forçadas a praticar seus conhecimentos ninja em segredo nas montanhas e em florestas. Essas famílias de guerreiros desenvolviam suas habilidades em harmonia com a natureza e treinavam diferentes tipos de combates e práticas meditativas no intuito de atingirem elevada capacidade marcial espiritual e quando necessário, uniam-se para lutar contra inimigos em comum.

Como e em qualquer sociedade, havia crápulas entre os ninja, que não tinham o menor pudor em utilizar os conhecimentos adquiridos para fins nada honoráveis, como matadores de aluguéis. Foi neste período que o ninja evolui de guerreiro das montanhas para guerreiros da noite e começou ocupar parte na história do Japão, pois muitos senhores feudais contratavam os serviços para realizar assassinatos e atuar como espião. Esses ninja também atuavam como samurais, pois serviam a um daimyo com a diferença de não seguirem o bushido, mais sim, seu próprio código de conduta. Não se importavam em realizar suas missões de maneira desleal, já que sua imagem não era afetada. Atuavam durante á noite e em alguns casos utilizavam máscaras de demônios ou seres mitológicos, a fim de aterrorizar seus oponentes e explorando seus medos e superstições.

Nesta etapa da história muitas famílias ninja deixaram o convívio normal com a sociedade refugiadas nas montanhas aprenderam a utilizar ervas e plantas medicinais (Yagen Jutsu) no trato de doenças ou envenenamento (Dokujutsu). Entretanto, algumas pessoas permaneceram nas cidades onde realizavam tarefas e trabalhos cotidianos, atuando como informantes disfarçados de comerciantes e artesão. Dessa forma, era possível que o clã se mantivesse informado sob tudo o que ocorrerá em diversas regiões. A fé também se tornou parte integral do ninjutsu e uma de suas principais influências espirituais foi Shinto, “O caminho do kami”. Kami é a palavra japonesa que significa Deus, entretanto, sua filosofia implica em um sentimento mais voltado para uma força sagrada do que para um ser superior. Outra forte influência dos ninja foi o método Mikkyo de expandir a força interior ou “Ki” baseado no uso de palavras e símbolos secretos denominados Kuji Kiri (Nove cortes) para concentrar a energia e as intenções em objetivos específicos.

Os ninja também foram influenciados por um grupo de eremitas denominados “Shugenja” que moravam nas montanhas. Suas práticas consistiam em submeter-se aos obstáculos natureza para extrair força da própria terra, contudo, tal prática não condiz totalmente com a realidade do ninjutsu, ficando este segmentando a poucos grupos. O ninjutsu não deve ser interpretado com uma arte marcial qualquer, tratasse de uma arte de poder e sua filosofia sempre se posicionou diferente dos padrões da época, pois o ninja seguia os preceitos do Ninpo e Shinobi no Giri e sua exigência e dever moral ditava o comportamento deste misterioso guerreiro. Apesar de exímios lutadores só entravam em combate quando necessário. O ninja luta pela vida e seu treinamento consiste na busca incessante pela sobrevivência e superação.

Trata-se de pessoas comuns que aprenderam a se defender para vencer as dificuldades da época feudal, um período onde as pessoas viviam no limite de suas forças, sendo exploradas e submetidas a uma aristocracia militar e ditatorial formada por uma elite dominante, sendo vitimas de perseguição religiosa e cobranças injustas de impostos. A maioria das armas do ninjutsu, além de instrumentos de combate, também pode ser usada como ferramenta por possuir origem e características agrícolas. Exemplo disso têm a foice, bastão, corrente, facas e até mesmo pregos adaptados como lâminas de arremesso conhecidas como Bo Shuriken.

Porém muitas de suas táticas eram consideradas covardes, como atacar o inimigo sem lhe dar chance de defesa, sabotagem, armadilhas e arremesso objetos nos olhos. Os ninja eram pessoas oportunistas e usavam todo tipo de artifício para sobreviverem ou triunfarem na batalha, sendo assim, fugiam dos padrões da época, tornando-se pessoas perigosas e imprevisíveis, dessa forma, diante de um adversário mais poderoso e bem armado, qualquer intervenção era válida para que sua vida fosse preservada. Os senhores feudais tinham ao seu lado os temidos guerreiros samurais e o seu período de ouro foi de Kamakura (1192 - 1333) até o fim do período Edo (1867). Muitas vezes as famílias ninja usavam seus guerreiros ou fontes de informações para proteger seus membros, evitando que eles se tornassem vítimas de disputas entre grupos de samurais inimigos. O ninjutsu era desenvolvido como uma contracultura para a sociedade japonesa dominada pelos samurais.


Ninjutsu, Ninjitsu, Curso de Defesa Pessoal, Armas Japonesas, Hosho Ryu NinpoPoucos clãs ninja sobreviveram até a entrada do Japão na era moderna, iniciada com o império Meiji em 1868 e nesta época o ninjutsu quase desapareceu. O imperador Meiji queria transformar a então sociedade agrícola e de guerreiros samurais, em uma nação industrializada. Seu primeiro decreto foi proibir que os samurais usassem espadas e muitos descontentes por ter que abandonar suas tradições e filosofia se revoltou contra o governo formando grupos de resistência chamados de Monarquistas. Outros se mataram e alguns mais insistentes passaram a utilizar a Sakabatou “Espada com lâmina invertida”, porém depois de algum tempo tiveram que realmente ceder.

O sucesso ninja no combate se deve a sua boa preparação física e marcial e um sistema perfeito de dissimulação. Além de técnicas de espionagem que lhe proporcionaram excelente reputação como guerreiro e uma imensa projeção no mundo atual.

 

Conclusão.

Não é possível comparar o ninjutsu com nenhuma outra arte marcial existente na atualidade, suas características, estilo de luta e espiritualidade nos traz um guerreiro completamente distinto dos padrões contemporâneos e sua permanência nos dias atuais se dá a uma extraordinária capacidade de adaptação. Trata-se de uma arte completa que atua nos mais diversos campos de combate. Fundamentada na estratégia, sendo rápida, precisa e necessária para quem deseja aprender a se defender definitivamente. Aliás, muitas pessoas e mestre se surpreendem ao conhecerem o universo marcial do Ninjutsu, contudo, a modalidade é acessível a qualquer pessoa, independente do sexo ou condição física. Para praticar basta apenas ter um bom coração e estar disposto a melhorar com ser humano, através de uma cultura milenar e disciplinadora.